Na madrugada desta quinta-feira (22), após empate pela Copa do Nordeste, o ônibus do Fortaleza acabou sendo apedrejado na saída da Arena Pernambuco, em um crime completamente inesperado. Durante a ação, seis jogadores ficaram feridos e precisaram ser encaminhados ao hospital mais próximo. Nas redes sociais, a equipe tem compartilhado atualizações.

Assim, após o grande susto, o Fortaleza desembarcou na capital cearense. Durante o desembarque, o CEO do clube, Marcelo Paz, colocou a ação feita pelos torcedores do Sport como “premeditado”, garantindo que o time só deveria voltar aos gramados, assim que os responsáveis fossem punidos. O caso gerou indignação nas redes sociais, apontando o lado negativo do esporte.

“A gente estava trabalhando, não teve hostilidade no jogo e depois aconteceu isso. O Fortaleza só deveria voltar a jogar quando estivesse com os jogadores recuperados, até para dar exemplo. Nossos médicos vão nas casas dos jogadores, porque hoje é dia de descanso. As pessoas que fizeram aquilo não podem passar impunes”, cravou o CEO.

Jogadores do Fortaleza viram torcedores do Sport

Marcelo ainda esclareceu a situação de alguns jogadores que ficaram feridos após o ataque. No total, seis atletas foram direcionado ao hospital: João Ricardo, Escobar, Titi, Brítez, Lucas Sasha e Dudu. Os casos de João Ricardo e Escobar foram os mais graves, e as imagens são completamente assustadoras. Além disso, o dirigente comentou sobre o momento da ação, garantindo que viu os torcedores.

“Saímos do jogo e, para quem não conhece, a Arena Pernambuco é distante de Recife. Vimos o movimento de torcedores do Sport com camisa amarela e de repente o impacto e jogadores gritando. Vi o Sasha ferido e sangrando, terror, não sabíamos o que tinha acontecido. Tinha uma viatura e seis motos, mas não foi suficiente. Para mim foi um ato premeditado“, completou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *