O Fortaleza sofreu em alguns momentos e não conseguiu superar a defesa do Retrô no tempo normal. Nos pênaltis, a bola também custou a entrar, mas, depois de muito drama, o Leão conseguiu avançar para a terceira fase da Copa do Brasil. 

A torcida tricolor deixou o Castelão um pouco ressabiada. Feliz, claro, pela vaga, mas sem confiança pela atuação do time, com pouca eficiência no último terço. 

Retrô ameaça

O Retrô não foi ao Castelão só para se defender. Pelo contrário. Inclusive, ameaçou abrir o placar logo aos quatro minutos, quando Leonan recebeu lançamento nas costas da defesa e mandou para o meio para Giva, que desviou e a bola quase entrou. 

O Fortaleza não conseguia responder. Até construía bem, principalmente pelo lado direito, mas não chegava a definir os lances. Faltava capricho no último passe. Foi através de um passe errado que saiu o primeiro chute perigoso do Leão, de Pikachu. 

Enquanto isso, Radsley foi traiçoeiro aos 19 minutos. O atacante mandou uma pancada de fora no cantinho, e João Ricardo se esticou para espalmar. Os pernambucanos seguiram melhor no jogo. 

Depois de mais um susto, o Tricolor começou a mostrar mais qualidade no último passe. Evoluía sempre através da cadência de Kauan. Mas na hora de finalizar… Lucero e Moisés perderam boas chances na área.

Mas a pressão foi aumentando e Moisés, após tabela com Pikachu, acertou o alvo, mas parou em Paulo Ricardo. O goleiro, logo na sequência, jogou para escanteio chute desviado do ponta. A Fênix se segurou. 

Fortaleza pressiona, mas vaga só vem nos pênaltis

O time de Vojvoda teve no início do segundo tempo a mesma dificuldade do início do jogo, com muitos erros no último terço. A entrada de José Welison na vaga de Pedro Augusto, ao menos, deu a arma dos chutes de fora. Logo no primeiro lance, o volante arriscou. 

José Welison, também, conseguiu dar mais velocidade na troca de passes no meio. Para reforçar a ofensividade da equipe, Marinho e Caleb entraram ainda aos 25 minutos. Mas só a partir dos 35, o Fortaleza voltou a pressionar, de fato. 

Foi justamente aos 35 que Caleb mandou chute colocado na área, e Paulo Ricardo espalmou. Aos 40, Kervin, que também saiu do banco, fez jogadaça na área e deixou o gol com Lucero, mas o argentino isolou a oportunidade. 

O Leão do Pici tentou até o último dos sete minutos de acréscimos. Marinho teve a última palavra em arremate de canhota de fora da área. Para fora. A decisão da vaga ficou para os pênaltis. 

Logo na primeira cobrança, o capitão do Retrô Fernandinho parou em João Ricardo. Só que Caleb praticamente recuou a bola para Paulo Ricardo. Só que a bola não queria entrar. Renato Henrique mandou para fora e Lucero parou em Paulo Ricardo. Só Edson Lucas, na quinta cobrança, mandou para dentro. Kervin aproveitou a porteira aberta para empatar, mas Luisinho isolou. Na última cobrança do Leão, Tinga garantiu a classificação tricolor. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *