O presidente do Grêmio, Alberto Guerra, disse nesta quarta-feira (8) à CNN Brasil que “não vê ambiente” para que o Campeonato Brasileiro tenha sequência no momento, já que os times gaúchos foram fortemente atingidos pelas enchentes no estado.

“Futebol é festa, alegria e expressão do povo, e eu não vejo ambiente para isso, pelo menos aqui na Região Sul, e não falo apenas do Rio Grande do Sul, tem muita gente atingida indiretamente”, comentou.

Guerra projeto que será possível retornar às atividades somente em junho, pois os times não estão sequer treinando. Há jogadores ajudando nos salvamentos e até o técnico Roberto Portaluppi foi resgatado por voluntários.

“Se acharem que tem que continuar, comemorar gol e ficar traçando linha de impedimento enquanto parte da população brasileira passa por isso, que sigam. Vou seguir meu trabalho de ajudar meu povo”, avaliou. 

Guerra disse que não está decepcionado com a decisão de outros clubes e da CBF em dar continuidade ao campeonato. Ainda não há data para reposição dos jogos do Tricolor.

Em junho, certamente, o Grêmio não mandará jogos na Arena; o Inter, provavelmente, no Beira-Rio”, projetou.

“Não tenho tempo para ficar decepcionado e frustrado, estou na luta para ajudar colaboradores, jogadores e categorias de base. As pessoas não têm noção do que está acontecendo. Não consigo expressar o que estamos passando, só sabemos que vai demorar”. 

O dirigente participou do Live CNN e foi entrevistado pelos jornalistas Maurício Noriega, Elisa Weeck e Jairo Nascimento nesta quarta-feira (8). Os jogos dos times gaúchos no Brasileirão foram adiados pela CBF até o dia 27 de maio e o Grêmio

Ele lembrou que o Grêmio está recolhendo donativos para os atingidos.

“É hora de usar toda a estrutura do Grêmio para ajudar, temos recebido muitas doações. Nosso braço social pode receber doações em dinheiro, que é revertido para a comunidade no entorno da Arena”.

Grêmio prejudicado

O Grêmio foi um dos times mais atingidos pela tragédia em Porto Alegre. A Arena do Grêmio foi tomada pela água. O Centro de Treinamento foi alagado e um ônibus do time ficou quase submerso.

Jogadores da base do Tricolor ficaram ilhados e o técnico do time principal, Renato Portaluppi, foi resgatado por voluntários, pois não conseguiu sair do local em que mora na cidade. Toda a região próxima ao hotel e ao aeroporto Salgado Filho foi alagada.

Jogadores do Grêmio ajudaram no resgate das vítimas e, em meio a toda confusão, a loja do time da Arena foi saqueada.

Arrecadações

O Grêmio está arrecadando doações para os atingidos pelas chuvas. As informações sobre os locais para entrega dos suprimentos têm sido publicadas nas redes sociais do clube. Os pontos de arrecadação tem variado conforme a necessidade logística do time em virtude das dificuldades enfrentadas durante o período de calamidade.

  • 1 de 5

    Arredores da Arena do Grêmio ficaram alagados e água chegou à parte interna do estádio tricolor

    Crédito: Reprodução/Redes sociais

  • 2 de 5

    Gramado da arena ficou completamente alagado com as chuvas do último fim de semana em Porto Alegre

    Crédito: Ramiro Sanchez/Getty Images

  • 3 de 5

    Clube teve a loja que fica na arena saqueada em meio aos alagamentos na região

    Crédito: Ramiro Sanchez/Getty Images

  • 4 de 5

    Ao lado do Internacional, Grêmio pressiona a CBF para que a rodada do Brasileirão seja adiada

    Crédito: Ramiro Sanchez/Getty Images

  • 5 de 5

    Tricolor já não disputou a última rodada do Brasileirão em razão das chuvas e também teve partida adiada pela Conmebol

    Crédito: Ramiro Sanchez/Getty Images

Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *