Nathalie Moellhausen posando com a medalha de bronze do Grand Prix de Budapeste (Foto: Eva Pavía)

(Foto: Eva Pavía)

Bronze para o Brasil! No Grand Prix de Budapeste de espada feminina, na Hungria, a brasileira Nathalie Moellhausen caiu na semifinal do evento e garantiu o seu lugar no pódio. Além disso, a competição foi especial para a esgrimista, pois sacramentou a sua vaga nos Jogos Olímpicos de Paris-2024.

No início da sua campanha, Nathalie abriu a chave principal do evento vencendo a estadunidense Margherita Vincenti por 7 a 6. Logo depois, ela seguiu adiante ao bater a italiana Federica Isola pelo placar de 11 a 10. Pelas oitavas de final, triunfo sobre a jovem russa Iana Bekmurzova, o que classificou a Moellhausen para um duelo contra a honconguesa Vivian Kong, atual líder do ranking mundial.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

Após muito equilíbrio, a brasileira conseguiu uma grande virada, superou a adversária por 13 a 12 e avançou à semifinal. Já no combate seguinte, Nathalie acabou superada pela húngara Eszter Muhari, que venceu pelo placar de 15 a 12. Na outra chave, Anna Kun, também da Hungria, eliminou a francesa Marie-Florence Candassamy, campeã mundial no ano passado.

“Hoje foi realmente um grande dia para mim. Estou muito emocionada. Conseguir esse resultado aqui em Budapeste foi muito representativo para mim, pois em 2019 ganhei o Mundial aqui. Quero agradecer a Confederação Brasileira que está me apoiando, a todos os esgrimistas brasileiros, a todos os brasileiros, ao meu clube, o Pinheiros, e a todos que estão comigo na sombra e na luz para me acompanhar até Paris- 2024”, disse a medalhista de bronze.

Classificação olímpica

Independente da ótima campanha que alcançou em Budapeste, Nathalie teve a melhor notícia antes de entrar em ação no Grand Prix. Isso porque, ela se classificou às Olimpíadas de Paris graças a eliminação das suas principais concorrentes na chave principal. A canadense Ruien Xiao e a argentina Isabel Di Tella, perseguidoras da atleta brasileira na vaga das Américas pelo ranking olímpico, se despediram precocemente do evento e confirmaram a vaga para a Moellhausen.

Jornalista capixaba formado na PUC-SP e amante dos esportes olímpicos e paralímpicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *