O Bayer Leverkusen faz, na Bundesliga, o oposto do que o Botafogo fez no último Brasileirão: é um time aguerrido que cresce nos minutos finais da partida. É um líder insaciável. Neste sábado, os Farmacêuticos viraram com gol nos acréscimos sobre o Hoffenheim, venceram por 2 a 1 na BayArena e deram mais um passo rumo ao título do Campeonato Alemão. 

Com 73 pontos, maior pontuação da história do clube na Bundesliga, o Leverkusen abre 13 para o vice-líder, Bayern de Munique, que joga o clássico ainda neste sábado contra o Borussia Dortmund. O título é uma questão de tempo… 

Hoffenheim traz drama para a BayArena

Foi um jogo de paciência para o Bayer Leverkusen nos primeiros minutos. O time de Xabi Alonso rodava a bola no campo de ataque estudando o adversário. A porta estava fechada. A primeira finalização levou pouco mais de dez minutos para sair, com Xhaka, que recebeu de Wirtz na entrada da área e bateu rasteiro. Mas Baumann não teve muita dificuldade para defender. 

A pressão foi ficando maior com o passar do tempo. Wirtz, sempre protagonista, quase furou o muro em boa jogada individual. O meia levou para a perna direita e bateu colocado. A bola passou com perigo da meta de Baumann. O Hoffenheim estava cada vez mais nas cordas. 

Resiliente, Die Hoffe se defendeu de todas as formas e, aos 32 minutos, em rara aparição no ataque, chegou ao gol. Beier aproveitou o bom pivô de Stach e saiu na cara do gol para abrir o placar na BayArena. A zebra estava passeando no estádio. 

Em outro ataque rápido, o time visitante quase chegou ao segundo gol. Kramaric avançou com liberdade e finalizou de perna canhota, mas a bola acabou nas mãos do goleiro Hradecky. O Leverkusen demorou a se recuperar do susto. 

Nos minutos finais do primeiro tempo, os Farmacêuticos chegaram a ameaçar em cruzamento que quase terminou nas redes de Xhaka e também em aparições na área de Andrich e Hofmann. Mas a vantagem seguiu do outro lado. 

Mais uma virada nos acréscimos

O Leverkusen começou o segundo tempo com forte pressão. Wirtz, sempre protagonista, fez boa jogada na área aos oito minutos, se livrou dos marcadores e bateu para a defesa de Baumann. 

A entrada de Adli no lugar de Hofmann deu outro dinamismo aos Farmacêuticos no último terço. O time conseguia chegar na área com mais perigo. Grimaldo teve grande chance de empatar após jogada de Adli, mas falhou na hora do arremate e não aproveitou a oportunidade. O lateral foi melhor em arremate de fora, e Baumann espalmou. 

Baumann era o personagem do segundo tempo, ao lado de Adli. Aos 30 minutos, o goleiro fez duas grandes defesas na área, a segunda um verdadeiro milagre em tentativa de Adli. Na sequência do escanteio, Adli ajeitou e Andrich mandou disparo perigoso. 

A pressão foi aumentando. Depois de Borja Iglesias mandar bola no travessão, Wirtz cruzou, Tah ajeitou e Andrich concluiu para deixar tudo igual. Já eram 42 minutos de jogo. Mas ainda dava tempo para a vitória. 

A virada veio já nos acréscimos. Frimpong recebeu pela direita e bateu forte para o meio. Schick apareceu para desviar e mandar para a rede. O imparável Bayer Leverkusen continua sua trajetória histórica, já na maior pontuação da história do clube na Bundesliga. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *