Em entrevista ao CNN Esportes S/A deste domingo (12), Victor Bagy, o “São Victor”, falou sobre os desafios de ter assumido o cargo de diretor de futebol do Atlético-MG e a identificação que tem com o clube.

“É um desafio imenso você liderar um dos maiores clubes em termos de torcida, em termos de conquistas, em termos de tamanho que temos no Brasil. Mas para mim não me assusta, eu conheço o Atlético-MG como poucos. Modéstia parte, eu tenho 12 anos de clube. Isso me credencia a ter conhecimento da cultura de futebol, da cultura do clube, do comportamento do torcedor, do que o torcedor gosta, do que o torcedor não gosta. E é pautado nessas informações a gente procura tomar as decisões que vão ao encontro daquilo que o torcedor espera do time”, explicou.

Plano B

Bagy explicou que desde o início planejou uma carreira caso o futebol não desse certo.

“Logo no início da carreira eu me formei. Sou formado em educação física, até como um plano B para a carreira, diante de um provável insucesso que poderia acontecer. O futebol é uma carreira muito incerta, né? Às vezes a gente só vê o glamour, o prestígio, mas na realidade é um pouco diferente. Então me formei, fiz alguns cursos enquanto eu ainda era atleta, inclusive de gestão esportiva, e veio a calhar com o convite do Rodrigo [Caetano]”, contou o ex-atleta.

Victor é formado em Educação Física pela Escola Superior de Jundiaí, cursada em 2005. Além disso, ele participou do curso de Gestão Técnica do Futebol, na Universidade do Futebol, e Gestão Executiva, na CBF Academy.

História no Galo

Victor marcou seu nome na história do Atlético-MG, conquistando títulos importantes como a Libertadores da América em 2013, quando começou a ser chamado de “Santo” pela torcida.

No Galo, conquistou oito títulos como goleiro, cinco na função de gerente de futebol e, agora, o pentacampeonato estadual na chefia do departamento de futebol. O ex-goleiro se aposentou em 2021.

Victor ainda comentou sobre as cobranças serem diferentes atualmente em relação à época em que defendia o clube debaixo das traves.

Não existem milagres de trabalho, mas é interessante que as pessoas ainda enxergam muito mais o lado goleiro, o São Victor, do que propriamente como diretor. Obviamente que as cobranças estão diferentes nesse sentido […] mas é legal você ter esse espaço no coração do torcedor. Isso é muito gratificante […] é gostoso fazer parte desse carinho, dessa história do clube, então isso pra mim é algo que tem valor na vida, é algo que o dinheiro não compra”, finalizou.

CNN Esportes S/A

Com a presença de Victor Bagy, o CNN Esportes S/A chega à 48ª edição. Apresentado por João Vítor Xavier, o programa aborda os bastidores de um mercado que movimenta bilhões e é um dos mais lucrativos do mundo: o futebol.

Em pauta, os assuntos mais quentes da indústria do mundo da bola, na perspectiva de economia e negócios. 

Acompanhe CNN Esportes em todas as plataformas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *