Italo Ferreira em ação na etapa de Sunset Beach da WSL

(Foto: Divulgação/WSL)

O Brasil garantiu seus sete representantes na terceira fase da disputa masculina da etapa de Sunset Beach do Circuito Mundial de Surfe (WSL), que começou neste sábado (17), no Havaí. Caio Ibelli, Italo Ferreira, Miguel Pupo e Yago Dora avançaram de forma direta, enquanto Gabriel Medina, Deivid Silva e Samuel Pupo tiveram que passar pela repescagem.

Italo Ferreira e Caio Ibelli foram os únicos a vencerem suas baterias da primeira rodada. Caio anotou a maior nota agregada entre os brasileiros, com 14.17 (7.17 + 7.00), superando a concorrência do norte-americano Kelly Slater (12.40) e do havaiano Barron Mamiya (6.14). Já Italo marcou 13.00 (7.67 + 5.33) e ficou a frente do australiano Jacob Willcox (10.17) e do havaiano Ian Gentil (10.00).

Já Miguel Pupo e Yago Dora ficaram em segundo lugar nas baterias do opening round. Miguel marcou 13.77 e ficou atrás do sul-africano Jordy Smith (15.50) e a frente de seu irmão, Samuel Pupo (10.93). Yago, por sua vez, marcou 8.17, ficando atrás do japonês Kanoa Igarashi (11.00), mas a frente do português Frederico Morais (7.84).

Yago Dora antes de entrar no mar em Sunset Beach na WSL
Yago Dora foi o segundo em sua bateria (Foto: WSL)

Gabriel Medina ficou em último lugar em sua série contra o havaiano Eli Hanneman e o sul-africano Matthew McGillivray, assim como Deivid Silva, contra o estadunidense Crisby Colapinto e o australiano Jack Robinson. Os dois, além de Samuel Pupo, tiveram que disputar a repescagem, e todos conseguiram avançar à terceira fase.

Dessa forma, todos os sete representantes brasileiros da disputa masculina seguem vivos na etapa de Sunset Beach da WSL. A próxima chamada do evento acontecerá neste domingo (18), às 14h45 (horário de Brasília). A expectativa é que a disputa feminina também se inicie, com a presença de Tatiana Weston-Webb e Luana Silva.

Participação dos brasileiros

O primeiro brasileiro a cair na água em Sunset Beach foi Deivid Silva, que competiu contra o australiano Jack Robinson e o estadunidense Crosby Colapinto. Na sua segunda tentativa, o surfista paulista conseguiu uma onda de nota de 5.67 e largou na liderança da bateria. Porém, na sequência, ele encontrou dificuldades em achar uma boa oportunidade e viu seus adversários ultrapassarem a sua pontuação. Assim, Deivid fechou com o somatório de 8.47 e se encaminhou para a rodada de repescagem.

Logo depois, Caio Ibelli brilhou na sua chave. Com um surfe muito consistente, o brasileiro atingiu duas notas acima de sete pontos, venceu a terceira bateria com 14.17 e seguiu adiante em Sunset. Além disso, ele superou o havaiano Barron Mamiya, atual líder da temporada, e o multicampeão Kelly Slater. Mais tarde, Yago Dora iniciou sua campanha com um 2.50. Após alguns minutos sem conseguir uma boa chance, ele alcançou um 5.67, acumulou a pontuação de 8.17 e garantiu seu lugar no mata-mata.

Gabriel Medina com rasgadas na etapa de Sunset Beach da WSL
Gabriel Medina em Sunset Beach (Foto: Divulgação/WSL)

Gabriel Medina começou com uma ótima sequência de rasgadas e conseguiu a nota de 5.00. Mesmo com mais um 5.60, o atleta brasileiro foi ultrapassado pelo havaiano Eli Hanneman, que somou 11.43. Nos minutos finais, ele não obteve sucesso em trocar sua pior nota e terá que disputar a repescagem. Ítalo Ferreira, por sua vez, alcançou a pontuação de 7.67 logo na sua segunda onda surfada. Na sequência, o potiguar controlou a vantagem construída e venceu a bateria com o somatório de 13.00.

Por fim, na última participação do Brasil no opening round da etapa de Sunset Beach da WSL, Miguel Pupo conseguiu um ótimo 8.27 e um 5.50, acumulando 13.77. Ele ficou em segundo lugar na bateria, atrás do sul-africano Jordy Smith, que venceu com 15.50 (9.33 + 6.17). Já Samuel Pupo marcou 10.93 (6.60 + 4.33), ficou em terceiro lugar na série e teve que ir para a repescagem.

Repescagem

Gabriel Medina e Samuel Pupo competiram na mesma série de repescagem e conseguiram “dobradinha” para avançar à terceira fase. Medina dominou toda a bateria e, no fim, acumulou 13.83 (7.33 + 6.50), avançando sem maiores problemas. Samuel chegou a ficar atrás do havaiano Keanu Asing, mas terminou em segundo lugar, com 10.96 (5.63 + 5.33) contra 9.60 (6.00 + 3.60) do adversário.

Em seguida, foi a vez de Deivid Silva entrar em ação e garantir vaga na terceira fase. Em uma bateria sem grandes manobras, o brasileiro marcou 8.24 (4.67 + 3.57) e ficou em segundo lugar na série, atrás do havaiano Ian Gentil, que foi dominante e anotou 13.00 (7.00 + 6.00), e a frente do marroquino Ramzi Boukhiam, com 4.53 (2.53 + 2.00).

Jornalista capixaba formado na PUC-SP e amante dos esportes olímpicos e paralímpicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *