CNN Esportes

Athletico decidiu apoiar o pedido dos clubes gaúchos e se mostrou favorável à paralisação do Campeonato Brasileiro enquanto o Rio Grande do Sul tenta se reerguer das fortes chuvas que ainda afetam o estado.

A posição do clube foi divulgada oficialmente em entrevista coletiva após a vitória de 2 a 0 do Furacão sobre o Palmeiras, neste domingo, na Arena Barueri. A equipe rubro-negra lidera a Série A, com 13 pontos.

“Os times que estão acumulando jogos para frente, o que vai acontecer com eles? Eles vão chegar e jogar sem treino? Vai estourar jogador. Essa sequência maluca que estão propondo, não permite isonomia, igualdade no campeonato. Na minha opinião, temos que ser justos, temos que parar”, disse o técnico Cuca.

“Nossa posição é de apoio total e restrito aos clubes gaúchos. A decisão que for melhor para esses clubes, em meio à tragédia, é o que vamos seguir”, reforçou André Mazucco, diretor de futebol do Athletico.

Na semana passada, o presidente Mario Celso Petraglia havia dito que o Athletico era contra a paralisação e chegou a oferecer as instalações do Furacão para que Internacional, Grêmio e Juventude, times gaúchos que estão na Série A, pudessem utilizá-la enquanto o Rio Grande do Sul enfrenta o desastre natural.

As equipes, no entanto, negaram-se a jogar fora do estado, e o Athletico decidiu mudar o posicionamento.

A posição do Athletico vem após a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) cobrar oficialmente uma definição dos clubes em relação à paralisação do Campeonato Brasileiro, enviando um ofício a todas as federações para que as equipes participantes relatem o seu desejo.

A CBF estava pressionada, desde a semana passada, quando o Ministério do Esportes, representando o Governo Federal, solicitou a suspensão do torneio por conta dos impactos das fortes chuvas no Rio Grande do Sul.

Neste momento, está definido que todos os jogos das Séries A, B, C e D do Brasileiro que envolvam times gaúchos estão suspensos até o dia 27 deste mês.

Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

versão original

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *