Na noite deste domingo (28), o Palmeiras entrou em campo pela terceira rodada do Campeonato Paulista de 2024. Os comandados de Abel Ferreira receberam o Santos, dentro do Allianz Parque e venceram por 2 a 1.

Depois do duelo, o treinador português voltou a reclamar do estado do gramado do estádio alviverde. “Nós precisamos com urgência que troque o gramado sintético e troque por um outro do mesmo nível de quando eu cheguei aqui”, cobrou Abel Ferreira, que logo em seguida citou a qualidade do campo corintiano.

“É horrível o gramado. O Maracanã é um dos melhores estádios, mas com grama horrível, porque se joga muito e é impossível se recuperar o gramado natural. O Corinthians não tem problema, porque joga sozinho e o gramado é top. Cheguei em 2020 e nunca reclamei do sintético, acho uma opção válida”, assegura o treinador.

“Não mudo uma vírgula do que disse há mais de um mês. Só tem uma opção: um sintético novo. Me disseram que leva 30 dias para a película entrar. Se tiver manutenção, vai ter que tirar tudo. Se tiver reunião, gostaria de participar para levar tudo o que meus jogadores têm a dizer”, afirmou Abel.

Rival avisa que não atuará mais no Allianz Parque

A Sociedade Esportiva Palmeiras informa que, em razão das atuais condições do gramado do Allianz Parque, somente voltará a mandar jogos no estádio quando a Real Arenas honrar com a sua obrigação de realizar a manutenção adequada do campo.

Importante salientar que o problema não é a grama sintética, implementada justamente com o intuito de oferecer aos atletas um piso sempre em perfeitas condições, mas o descaso da superficiária com a qualidade do campo, que exige melhorias urgentes.

Em função da irresponsabilidade de terceiros, não temos o direito de colocar em risco a integridade física de profissionais – sejam do Verdão, sejam das equipes adversárias.

Caso a superficiária do Allianz Parque insista em protelar a solução necessária para este grave problema, exigiremos junto aos órgãos competentes a interdição da arena.

Jornalisticamente torcedor do futebol. É incrível como esse ‘esporte’ é religioso. Durante a semana lemos, ouvimos e assistimos alguém falar dele, sempre esperando o dia sagrado para acompanhar o nosso time do coração. Quando chega o momento, há os cantos de adoração, há o sentimento de comunhão e de fazer parte de algo muito maior. Para mim… nunca é só futebol.

Comentários estão fechados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *